* Hello, my friends! welcome to letra e fel! If you like this space, please share it with your friends.
* Dzień dobry, drogi czytelniku, witaj w blogu Letra e Fel! Dziękujemy za wizytę. Jeśli nasz blog ci sie spodobał, poleć go swoim znajomym.
*!Hola! , amigo lector. Sea bienvenido y si le gustó mi blog, recoméndelo a sus amigos!
*Cher lecteur, soyez le bienvenu! Veuillez conseiller notre blog à vos amis si vous l'avez aimé. Merci beaucoup!

09/04/2007

Enquanto o amor não vem...


Enquanto o amor não vem
Ponho rosas nos cabelos
E sento junto à janela
Enquanto o amor não vem

E canto e suspiro,
e silencio e canso
Já é quase meio dia
E enquanto o amor chega
Trazendo consigo uma parte de mim
Preparo o almoço do tipo
“Fidelize o amor”
Arroz, feijão pretinho polenta
e de sobremesa
Mousse de maracujá
ajuda a acalmar...
Enquanto o amor não vem.

Uma sesta para sonhar
Depois de comer
sozinha
sonhar com o amor que vai chegar
Sonho que ele vem apressado
Não vejo seu rosto mas,
Sei que é lindo
Tipo manhã de domingo
Que promete descanso e aconchego
Vem trazendo nas mãos um presente
uma caixa
da cor do céu e cheiro de sorriso

Lhe digo: __Vem Amor...
Abro os braços e
o amor começa, devagarinho,
a vir em minha direção
Estou quase reconhecendo seu rosto
tão estranho e tão conhecido
a face do meu amor
Mas algo acontece,
meus olhos se abrem
acordo...
e é o amor que, nos meus sonhos,
fica a esperar

Enquanto o amor não vem
Vou até a estante e
pego um livro
Romeu e Julieta?
Nada de amor sem final feliz...
Passo aos mitos- Eros e Psique
Vem à náusea, só de pensar no
inevitável triângulo:
O amor, o outro amor e mãe do amor
Ah! Isso não!
Desisto de Apuleio

Vou ler Florbela Espanca
“Eu quero amar, amar, amar perdidamente
Mais este, aquele, o outro, a toda gente
Amar e amar e não amar ninguém”
Também não! Quero amar o amor, o meu amor
Só a ele, sempre ele...
Quem sabe um romance clássico
Do tipo contos de fadas?
“E foram felizes para sempre”
É disso que preciso...

Enquanto o amor não vem
Ouço um barulho
É o vento que bate à janela, anunciando
A chuva
Corro até ao quintal e recolho as roupas
Estendidas no varal, ainda cheirando a sol
E que agora dançam a minha espera
E o vento assobia
“Quimera, quimera, quimera”

Corro pra dentro da casa
O vento desarrumou meus cabelos
O amor pode chegar agora
vou ao espelho
e vejo minha face
estranha, enigmática
Ponho rosas no cabelo
E canto e suspiro...
Enquanto o amor não vem.


by renata bomfim

Nenhum comentário: