* Hello, my friends! welcome to letra e fel! If you like this space, please share it with your friends.
* Dzień dobry, drogi czytelniku, witaj w blogu Letra e Fel! Dziękujemy za wizytę. Jeśli nasz blog ci sie spodobał, poleć go swoim znajomym.
*!Hola! , amigo lector. Sea bienvenido y si le gustó mi blog, recoméndelo a sus amigos!
*Cher lecteur, soyez le bienvenu! Veuillez conseiller notre blog à vos amis si vous l'avez aimé. Merci beaucoup!

24/02/2009

Singela bruteza

Queimaram as bruxas
desencantaram o mundo
Depois disso ficou difícil fazer poesia
Depois de tanta dor
como não silenciar?
Depois de silenciar
como vencer o medo?

Avanço e recuo
conjugando a mulher e a poeta
Na minha língua há asperezas
no coração esperanças
e a carne, essa
sangra por natureza

Que status plural e confuso
que peso e que pena sustentar esse Ser
que é belo, santo, maldito e profano
Da boca do inaudito discurso
brota o verbo luminoso
fluem traços e letras

Quero poetizar esse cotidiano cínico
que oprime e mata
E busco forças em Safo, Dal Farra e Adélia
e colho Florbela
Escolhendo a mim mesma

O silêncio é a voz que sonha e não realiza
o silêncio é dureza de plumas cintilantes
Foi assim que levantamos das cinzas
para queimar incensos e rezar
pelas bruxas queridas que
queremos ser e não somos ainda
Resgatamos com suor e lágrimas
a história esquecida pela própria história

O silêncio é um muros de leveza
que engana os olhos

2 comentários:

Noslen ed azuos disse...

O silencio faz pensar, muro divide, e o martelo da voz com outras vozes quebra o silencio e o muro.

Bjs
ns

EDER RIBEIRO disse...

O silêncio é um muros de leveza
que engana os olhos... ou a maneira de chegar a quem nos dá o dom de ser bruxo. bjos.