* Hello, my friends! welcome to letra e fel! If you like this space, please share it with your friends.
* Dzień dobry, drogi czytelniku, witaj w blogu Letra e Fel! Dziękujemy za wizytę. Jeśli nasz blog ci sie spodobał, poleć go swoim znajomym.
*!Hola! , amigo lector. Sea bienvenido y si le gustó mi blog, recoméndelo a sus amigos!
*Cher lecteur, soyez le bienvenu! Veuillez conseiller notre blog à vos amis si vous l'avez aimé. Merci beaucoup!

12/05/2010

Sessão Especial na Assembléia Legislativa: Distribuição de livros de autores capixabas

Amigos, esta sessão especial superou as minhas expectativas, para além das discussões, foram tiradas propostas concretas para fomentar a distribuição de livros e fomentar a leitura. Quero agradecer ao amigo escritor  Ítalo Campos, que foi quem primeiro ouviu minhas inquietações e apoiou o desejo de que essa sessão se realizasse, ao Deputado Cesar Colnado e a sua equipe, em especial a Adriely e ao Ruy, e aos demais amigos que prestigiaram o encontro.
Veleu!!
Renata

O Espírito Santo tem uma produção literária intensa, mas autores e livreiros esbarram na dificuldade de distribuição. O difícil acesso aos leitores foi um dos temas explorados na noite desta terça-feira (11), na sessão especial que discutiu a questão. O debate foi proposto pelo deputado César Colnago (PSDB), que na fala de abertura lembrou que existem no Estado “obras literárias riquíssimas, importantes, tanto de autores atuais como de escritores que passaram por esta vida e se foram, e deixaram imortalizada sua obra”.
Salientou que as publicações, às vezes, não recebem o “devido valor”, talvez por uma questão de cultura. No entender do parlamentar, a criação de novos leitores passa por um processo de educação de um povo. Começa em família: se há leitores em casa, novos leitores surgirão.
Passa também pelo poder aquisitivo da população; e ainda na forma como a literatura é apresentada nas escolas, disse César, defendendo o que chamou de “educação da sensibilidade”, onde a poesia e a prosa são apresentados aos alunos de forma menos técnica. Sobre a possibilidade de fazer projeto de lei para que o autor capixaba receba tratamento especial nas livrarias e escolas, César lembrou que se trata de uma questão cultural que necessita de um processo de conscientização,

Leitores
O professor Francisco Aurélio Ribeiro, presidente da Academia Espírito-Santense de Letras, destacou que a produção literária no Espírito Santo, hoje, é intensa. Tanto que catalogar demandaria tempo e equipe. Mas, a maioria é desconhecida do grande público. Para ser reconhecido, é preciso que o autor deixe o Estado e busque os grandes centros, como fez no passado o cronista Rubem Braga, e, atualmente, a poeta Elisa Lucinda, lembrou. Mas, não basta apenas publicar uma obra. É preciso ter acesso aos leitores.
Nesse ponto, afirmou que é difícil encontrar uma obra de autor capixaba nas livrarias. “Não há um espaço público onde possa ser visto, folheado e comprado”. Os quatro grandes municípios da Região Metropolitana da Grande Vitória – Vitória, Serra, Cariacica e Vila Velha – têm leis de incentivo. Mas, uma vez publicada a obra, não há políticas públicas de divulgação ou busca dos leitores, lamentou Francisco Ribeiro. Ele defendeu uma legislação estadual que incentive a produção ou a divulgação de obras dos autores capixabas. Citou como exemplo a criação de um percentual obrigatório de livros de capixabas nas bibliotecas do Estado.

Divulgação
Ester Abreu de Oliveira, professora e presidente da Academia Feminina Espírito-Santense de Letras, lembrou que já existem iniciativas do Estado para ampliar o número de leitores – como a Biblioteca Transcol. Mas, questionou se há entre as obras oferecidas ao público publicações de autores capixabas.
Ressaltou que nas escolas há espaço para autores clássicos, simbolistas, pós-modernistas, mas dificilmente entre eles é citado um autor capixaba. E, nas livrarias, nossos autores concorrem com um grande mercado, onde as obras que vêm de fora parecem ter mais valor que a “prata da casa”.

Acervo
A bibliotecária Kátia Lima de Alvarenga, representante da Biblioteca Pública de Vitória, assegurou que há no local um acervo riquíssimo de obras capixabas, inclusive de publicações antigas. A biblioteca promove atividades para despertar o gosto pela leitura, como o “Roda de Leitura”. Lembrou que o Espírito Santo é o único Estado do Brasil onde todos os Municípios possuem bibliotecas públicas, várias delas montadas e abastecidas com incentivo do Governo do Estado.

Distribuição
 O presidente do conselho da Câmara Capixaba do Livro, o livreiro Sílvio Dante Folli, também proprietário da Livraria Logos, disse que de 36 a 40 mil títulos novos são lançados por ano no Brasil. O que torna inviável expor todos na vitrine. A instalação de livrarias universitárias facilitaria a distribuição de muitas obras, opinou. E lamentou que as editoras às vezes têm que “pagar pedágio” para conseguir expor seus livros nas vitrines de algumas grandes livrarias. Silvio Folli concordou que é necessário pensar uma legislação que incentive a leitura, transformando as bibliotecas das escolas em seu cartão de visita, por exemplo. E lamentou que há 25 anos o Estado não realiza concurso público para bibliotecário.
Fonte: Agência de Notícias Ales
Foto: Reinaldo Carvalho


DIA 21/ 05 2010
Amigos, a sessão especial do dia 11/04 já está mostrando resultados. O deputado César Colnago, apresentou um projeto de lei instituindo a Política Estadual do Livro e da Leitura do Estado do Espírito Santo, que tem por objetivo fomentar o desenvolvimento cultural, a criação artística e literária, reconhecendo o livro como instrumento para a formação educacional, a promoção social e a manifestação da identidade cultural do Estado. A iniciativa é resultado do debate com entidades literárias, autores e livreiros. O projeto pretende estimular a produção dos autores naturais do Estado do Espírito Santo, promover a distribuição do livro, preservar o patrimônio literário, bibliográfico e documental do Estado e também trata da aquisição de livros.

ACESSE A LEI:
http://www.cesarcolnago.com.br/arquivos/projeto-de-lei-livros.pdf





Nenhum comentário: