* Hello, my friends! welcome to letra e fel! If you like this space, please share it with your friends.
* Dzień dobry, drogi czytelniku, witaj w blogu Letra e Fel! Dziękujemy za wizytę. Jeśli nasz blog ci sie spodobał, poleć go swoim znajomym.
*!Hola! , amigo lector. Sea bienvenido y si le gustó mi blog, recoméndelo a sus amigos!
*Cher lecteur, soyez le bienvenu! Veuillez conseiller notre blog à vos amis si vous l'avez aimé. Merci beaucoup!

21/02/2011

Eu não sei nadar










Eu não sei nadar
Talvez por isso
os poemas estejam curtos
Talvez por medo de afogar
eu fujo do conto, da prosa...
Arrisco braçadas desordenadas
na poesia.
Menor em número, mas palavras
infinitamente mais ácidas e letais
águas estranhas e turvas.
Prendo a respiração e arrisco
não há nada a perder,
além de mim mesma.
Até onde posso suportar?
(silêncio...)
Há um encanto
um brilho convidativo
bem lá no fundo
Hà também, talvez, o que procuro.
Mas, como acessar este isso
sem inundar os pulmões?
como não perder o sentido
em busca de um sentido próprio?
Se num ímpeto mergulho,
cada vez mais  fundo,
A pergunta desperta
Haverá volta?
Haverá desejo de voltar?
renatabomfim

2 comentários:

Carla disse...

Eu também não sei nadar...mas isso não me impede de mergulhar. E, nem sempre há o desejo de voltar.


Poema tocante!

gyoko disse...

Estimada Renata.
Todo es grande todo es pequeño
Uno vive en una novela pero muere en el verso de un poema.

Toni

(Comando Dharma)