* Hello, my friends! welcome to letra e fel! If you like this space, please share it with your friends.
* Dzień dobry, drogi czytelniku, witaj w blogu Letra e Fel! Dziękujemy za wizytę. Jeśli nasz blog ci sie spodobał, poleć go swoim znajomym.
*!Hola! , amigo lector. Sea bienvenido y si le gustó mi blog, recoméndelo a sus amigos!
*Cher lecteur, soyez le bienvenu! Veuillez conseiller notre blog à vos amis si vous l'avez aimé. Merci beaucoup!

06/09/2012

Efeito borboleta

XXXXXXXX “Entre o planeta e o Sem-Fim,
XXXXXXXXXX  A asa de uma borboleta” (Cecília Meireles)

Buscar salvação para o abandono,
Desenterrar forças para mudar o mundo,
Revelar o mundo descoberto no subterrâneo
De sorrisos frios e olhares cínicos.
Testemunhar o diálogo entre a ausência e a morte.

Conhecer a si mesmo de um outro jeito,
Libertar a borboleta aprisionada
Dentro da larva e voar em curvas,
Levantando poeira bem longe.
Fazer o caos!
A minha errância é como a água turva
De um rio caudaloso:
Não permite que lhe encontre a fonte
Ou que lhe desnude os mistérios do fundo.

A minha alegria,
Árvore carregada de tristezas,
Labirinto com minotauros anões...
Não há fio com que contar.
Preciso tear um casulo e adormecer,
Já sinto as dores da transformação.
Minha pele começa a romper.
Essa mutação é necessária?
Guardarei o silêncio para quando
Abrir misteriosas asas.

Buscarei a luz que ainda não conheci.
Assim como o néctar, a essência,
Irei desvendar a flor,
Com tudo isso eu sonho,
Enquanto me arrasto pelo chão.
Arranhada e faminta.

Renata Bomfim

2 comentários:

Carla disse...

Poema são como as borboletas, mutantes e voadores na imaginação do poeta edo do leitor.

Luiz Alfredo disse...

Entre o infinito
e a finitude real
as asas abertas da borboleta
é a fronteira:
onde começar a versejar
teu poema
onde o casulo começa
a se quebrar

belo blog poético
belo poema
ritmo na forma
movimento no conteúdo

Luiz Alfredo